domingo, 17 de agosto de 2008

Um pé lá e outro cá

Mind the Gap, Cuidado com o vão entre o trem e a plataformaPressão total: o material precisava ir para aprovação do cliente no dia seguinte e eu sem impressora... (felizmente esse problema acabou).

Coloquei o sapato mais confortável (havia comprado um número maior, molinho, macio, uma beleza!) e fui lá. Corri até o bureau que prestava serviços de impressão no Centro da cidade com o zip disc (isso foi antes de inventarem o cd...).

Trajeto rápido. Nessa época eu morava pertinho da estação São Francisco Xavier, na Tijuca e o bureau era na Uruguaiana. Vapt vupt.

Entreguei o trabalho e voltei no mesmo passo, pois havia mais serviço esperando. A essa altura (devia ser umas 16h) o Metrô começava a encher e eu cheguei no momento em que a composição apitava, avisando que iria fechar as portas.

Desci as escadas da estação correndo pra não perder o trem e consegui! Mas antes que pudesse pensar, aconteceu o inesperado: caí no vão.

Minha pasta voou para dentro do vagão, abriu e espalhou alguns papéis. E lá estava eu, como um siri arreganhado, com uma das pernas enterrada no vão e a outra ainda na plataforma, fiquei preso e não tive força para me erguer. A dor era imensa e enquanto tentava sair dali, rezava para o trem não andar, pois eu seria facilmente esmagado naquela situação.

"- Aceita ajuda?" perguntou um passageiro. "Sim, por favor!", respondi, estendendo meus braços. Na mesma hora ele chamou o outro e me içaram do fosso.

Dentro do vagão lotado, catei minhas coisas no chão e fiquei de pé, me apoiando naquele ferro central.

Minha expressão devia ser de muita dor, pois logo uma alma caridosa ofereceu o lugar e eu aceitei. A viagem foi longa e dolorosa. A dor aumentava a cada minuto quando finalmente saltei na minha estação.

Capengando, cheguei em casa e capotei na cama. Ainda bem que a Kiki estava em casa e me socorreu da melhor forma, aplicando gelo na perna roxa e alguns beijinhos...

Fiquei uma semana mancando, com um inchaço roxo na coxa e a certeza de prestar sempre muita atenção para nunca mais cair no vão do Metrô!

2 comentários:

Nina Victor disse...

É um homem feliz! Magro!!! :P
Poderia ter se machucado feio...
Beijo! :)

Helio Jenné disse...

Poderia sim Nina, se uma das pernas não tivesse ficado na plataforma. Morri de medo de o trem andar... aí sim, eu iria me ferrar! Naquele tempo eu ainda estava em forma, rs. Hoje a barriga seria a salvação, kkk! Beijo! :)